JOHN LOCKE

"todos os homens, que, sendo todos iguais e livres, nenhum deve prejudicar o outro, quanto à vida, à saúde, à liberdade, ao próprio bem". E, para que ninguém empreenda ferir os direitos alheios, a natureza autorizou cada um a proteger e conservar o inocente, reprimindo os que fazem o mal, direito natural de punir"

FRIEDRICH HAYEK

“A liberdade individual é inconciliável com a supremacia de um objetivo único ao qual a sociedade inteira tenha de ser subordinada de uma forma completa e permanente”

DEBATES FILOSÓFICOS

"A filosofia nasce do debate, se não existe a liberdade para o pensar, logo impera a ignorância"

A Filosofia é.....

"Viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir". Descartes

LIBERDADE

"Liberdade, Igualdade , Fraternidade. Sem isso não há filosofia. Sem isso não há existência digna.

"Nós temos um sistema que cobra cada vez mais impostos de quem trabalha e subsidia cada vez mais quem não trabalha"

LUDWING V. MISES

"O socialismo é a Grande Mentira do século XX. Embora prometesse a prosperidade, a igualdade e a segurança, só proporcionou pobreza, penúria e tirania. A igualdade foi alcançada apenas no sentido de que todos eram iguais em sua penúria"

quinta-feira, 14 de abril de 2016

POR QUE OS CORPOS CAEM ?

Newton  caminhando no estado de Woolsthorpe  quando viu uma maçã cair, alguns questionam isso  dizendo ser apenas uma licença poética. Tal acontecimento fez Newton olhar  para a lua e  formular  a seguinte questão fundamental  que o ajudou  a desvendar  os céus: Se as maças caem, a lua também cai ? A resposta foi sim. Essa resposta derrubou milhares de anos de mistérios  e especulações  sobre  os movimentos  dos céus. A lua está em queda livre igual à maça, ou seja; a lua está constantemente caindo em direção a terra, não se choca com a terra, por que gira ao redor dela por meio do campo gravitacional.
 Newton, logo tratou de trabalhar a gravidade na matemática, mas percebeu  que a matemática dos anos 1600 era insuficiente  para revolver o movimento da lua em queda livre. Desta forma, Newton não descobre apenas a força da gravidade, mas também o cálculo que até hoje é ensinado.  Por que, Newton criou este cálculo? Para calcular o movimento da lua em queda livre, pois a matemática de seu tempo era incapaz de calcular a trajetória de corpos se movendo dentro do campo gravitacional. Newton percebeu, que se ele entendesse a lua, ele também entenderia o movimento dos planetas no sistema solar. Isso faz Newton criar o telescópio reflexivo.
Neste tempo, o campo da física estava se perguntado sobre o cometa Halley. Fazendo perguntas do tipo: De onde vem? Essa pergunta foi feita a Newton por Edmund Halley. Segundo Newton, tal resposta seria fácil de obter, pois o  cometa Halley estava se movendo em uma elipse perfeita  dentro de um campo gravitacional, afirmação oriunda das suas observações telescopias e dos cálculos matemáticos. Com isso, no ano (1687) com o apóio e patrocínio de Edmund Halley,  Newton publicou ? Philosophia Naturalis Principia Mathematica? Os Princípios Matemáticos da Filosofia. Nesta obra, Newton apresenta os princípios  que  governa os céus, se tornando  uma das obras  mais importante  publicada  por um ser humano nos últimos quatrocentos anos. Nesta obra Newton coloca em movimento a física do universo, mostrando as forças que controlam os movimentos dos planetas, forças que podem ser calculadas. Forças que governam, por exemplo:  O movimento de bolas de canhão, foguetes, pedras que caem, por fim todas as  coisas que se movem, as quais se movem de acordo com  as leis de movimento  de Newton. De fato, mesmo hoje em dia quando se lança, por exemplo, uma sonda espacial não se usa as equações de Einstein, mas usa as leis de Newton. Elas são tão precisa que ao lançar uma sonda espacial usam-se os mesmo calculo que Newton usou em 1600, o que nos proporcionou descobrir alguns segredos no universo.

Desta forma, o que Newton fez,  não apenas  colocou em movimento a habilidade de calcular a trajetória dos corpos, ele também colocou em movimento a mecânica. As maquinas agora operam mediante leis definidas. A primeira lei de Newton diz que: Os objetos em movimento permanecem em movimento para sempre, a menos que seja influenciados/barrados por uma força externa? A segunda lei de Newton de movimento diz: Força e massa multiplicada pela aceleração (F=ma) torna possível a revolução industrial, motores a vapor, locomotivas fábricas, maquinas, tudo devido à mecânica  colocada  em movimento. Newton desenvolve a terceira lei de movimento: Para cada ação, existe uma reação da massa e força. Essa é alei dos foguetes. A lição aqui  é clara, quando  Newton   descobriu  a primeira  força  do universo a gravidade, ele colocou  em movimento a revolução industrial. Uma revolução que derrubou reis, rainhas da Europa, que contribuiu com o fim do feudalismo e inaugurou a era moderna. Tudo por causa de um homem que olhou para  o céu  e perguntou: Por que os corpos caem ? 

A METÁFORA DA LIBERDADE NA CANÇÃO "INFINITA HIGHWAY" DOS ENGELHEIRO DO HAVAI

A banda Engenheiro do Havai é uma das bandas que tem o repertório musical mais filosófico. A canção “Infinita Highway” cuja tradução é “Infinita Estrada” é uma destas.  Li e estudei muitas teorias filosóficas sobre a liberdade, cada uma  com suas explicações convincentes e aceitáveis. Mas, foi na canção “Infinita Highway”, através de uma forma poética que pude senti lá de forma tão forte de querer vive lá.  O enredo da canção é sobre um casal apaixonado que sobre as duas rodas de uma moto  harley davidson, pegam a auto-estrada sem roteiro definido. A estrofe inicial da canção tem assim seu inicio: “Você me faz correr demais, Os riscos desta highway, Você me faz correr atrás, Do horizonte desta highway, Ninguém por perto, silêncio no deserto, Deserta highway, Estamos sós e nenhum de nós, Sabe exatamente onde vai parar, Mas não precisamos saber pra onde vamos, Nós só precisamos ir, Não queremos ter o que não temos, Nós só queremos viver, Sem motivos, nem objetivos, Estamos vivos e isto é tudo, É sobretudo a lei, Dessa infinita highway”.
A metáfora de liberdade está na condição de pegar uma alto-estrada sem saber para onde ir, não porque esta perdido, mas por que quer. Ter a maravilhosa sensação de sentir a brisa do vento batendo em seu rosto, e em suas costas sentir a quentura do peito e o batimento do coração da pessoa a qual resolveu dividir seu coração. Nota-se que a liberdade que a canção apresenta - o que pilota não está sozinho, pois liberdade não é ser um pássaro solitário, mas é  dividir   sua  vida com alguém por livre vontade. 
No entanto, pegar esta auto-estrada, ser livre é algo que muitos a querem, mas poucos  a conseguem, por causa do medo, pois: “Quando eu vivia e morria na cidade, Eu não tinha nada, nada a temer, Mas eu tinha medo, medo desta estrada”. Por que do medo?  Pois a estrada da liberdade é uma estrada de múltiplas possibilidades, e o novo assusta a muitos. Então para muitos, é melhor não pegar essa auto-estrada, e ficar parada a beira do caminho vivendo apenas com uma possível certeza, velha e desgastada. A ação de pegar essa infinita highway (alto-estrada) dizendo: “Nós só precisamos ir, Não queremos ter o que não temos, Nós só queremos viver, Sem motivos, nem objetivos, Estamos vivos e isto é tudo”; não trata de uma atitude irresponsável, pois ele mesmo diz: “Não queremos aprender o que sabemos”, ou seja, ele sabe o que é, o que tem, e que pode fazer.
Em outra estrofe, ele fala de prisão e de ser livre: “Escute garota, o vento canta uma canção, Dessas que a gente nunca canta sem razão, Me  diga, garota: "Será a estrada uma prisão?, Eu acho que sim, você finge que não, Mas nem por isso ficaremos parados, Com a cabeça nas nuvens e os pés no chã, Tudo bem, garota, não adianta mesmo ser livre, Se tanta gente vive sem ter como viver”. A questão aqui é uma só, não tem como ser livre se a pessoa ainda não descobriu como viver: “não adianta mesmo ser livre, se tanta gente vive sem ter como viver”
Na seguinte estrofe ele diz: "Eu vejo um horizonte trêmulo, Eu tenho os olhos úmidos, Eu posso estar completamente enganado, posso estar correndo pro lado errado, Mas A dúvida é o preço da pureza, e é inútil ter certeza, Eu vejo as placas dizendo, Não corra, Não morra, "Não fume, Eu vejo as placas cortando o horizonte, elas parecem facas de  dois gumes".
Ou seja, não adiante querer olhar para o horizonte, tentando ver um horizonte definido como 2+2=4.  Pois, o horizonte é tremulo, ou seja; ele é uma possibilidade, e não uma realidade já conquistada. Pois, viver é apostar na vida. Por isso, ele diz: "Eu posso estar completamente enganado, posso estar correndo pro lado errado". Por que eu posso estar correndo do lado errado? Por que viver, é se arriscar. Há momentos que devemos deixar as placas que dizem: "Não corra", "Não morra", pois não passam de “facas de  dois gumes” que cortam” na raiz a condição de pegar a infinita highway,  a liberdade.
No final da canção ele diz: “Minha vida é tão confusa quanto a América Central, Por isso não me acuse de ser irracional, Escute garota, façamos um trato, Você desliga o telefone se eu ficar um pé no saco, Eu posso ser um Beatle, um beatnik, Ou um bitolado, Mas eu não sou ator, eu não tô à toa do teu lado, Por isso, garota, façamos um pacto, De não usar a highway pra causar impacto”. Aqui, ele diz que existem acusações contra sua vida de irracionalidade, simplesmente por que ele resolveu deixar a aquela vidinha quadradinha, e se lançar na auto-estrada (infinita highway) da liberdade. Por isso, ele diz para quem esta com ele: “Escute garota, façamos um trato, Você desliga o telefone se eu ficar um pé no saco”, ou seja; deixe-me eu te mostrar algo novo nesta auto-estrada da liberdade primeiro, depois poderá-me dizer que sou um pé saco, mas, de uma coisa você pode ter certeza, nesta estrada da liberdade “eu não sou ator”, ou seja; eu não sou falso com quem está comigo. Por isso, “eu não tô à toa do teu lado”, ou seja; uma liberdade com responsabilidade, pois ele cuida de alguém, ele está com alguém.
Por final termina dizendo: “Por isso, garota, façamos um pacto, De não usar a highway pra causar impacto, Cento e dez, Cento e vinte, Cento e sessenta, Só pra ver até quando, O motor agüenta, Na boca, em vez de um beijo, Um chiclet de menta, E a sombra de um sorriso que eu deixei, Numa das curvas da highway”. Pegar a auto-estrada da liberdade requer o rompimento de muitas coisas. Mas, só depois de certos rompimentos poderá dar em sua vida “Cento e dez, Cento e vinte, Cento e sessenta, Só pra ver até quando o motor agüenta”, ou seja; só quem pega a liberdade da auto-estrada terá a condição de viver intensamente. “Na boca, vez de um beijo”, liberdade compartilhada com alguém, que ama. “Um chiclet menta”, este beijo tem sabor de menta, ou seja, um amor que provoca sensações tão prazerosas semelhante à refrescancia de um chiclet de menta. “E a sombra de um sorriso que eu deixei, Numa das curvas da highway”, ou seja; estou feliz nesta auto-estrada da liberdade, e nas curvas do passado deixe apenas meu sorriso.


Letra completa

https://www.letras.mus.br/engenheiros-do-hawaii/12889/

https://www.youtube.com/watch?v=PCiHeMMBZUs